7 de junho de 2015

Como programar uma viagem internacional

         Recebi algumas dúvidas sobre esse assunto, e confesso que isso também era uma dúvida minha, mas que fui descobrindo depois de  muita pesquisa na internet. Afinal, como programar uma viagem? por conta própria ou com agência de viagens? Como fazer o levantamento dos gastos? Como começar?
        Existem coisas que acabamos descobrindo sozinhos e o máximo que as pessoas podem fazer por nós é nos mostrar a direção. É para isso que estou aqui.
       Cada um tem um objetivo para a sua viagem, um tempo disponível, e uma quantia de dinheiro reservada, e que vai depender bastante disso. O que eu posso dizer, é sobre a minha experiência da viagem que fiz à Itália em fevereiro de 2015, que pode te inspirar a fazer do seu jeito. Comecei a me programar mais ou menos 3 anos antes da viagem, com pesquisas e juntando dinheiro. E todo esse planejamento eu fiz sozinha.



      Como começar?

          A primeira coisa a se fazer é definir o destino, que para mim, estava mais do que certo, já que se tratava de um sonho. Em segundo lugar, definir o tempo total da viagem e também a época do ano. Para todo lugar existem as altas e as baixas temporadas, que podem variar de mais caras a menos caras, respectivamente.
         Pesquise as passagens a partir do dia que você começar a programar, para quem sabe conseguir uma promoção de última hora, mas estabeleça uma data limite para a compra. Eu comprei as minhas com 5 meses de antecedência e sem querer e por pura sorte peguei uma super promoção! Compre a passagem se possível diretamente no site da companhia aérea. Sempre sairá mais barato do que por agências físicas e virtuais.
        Detalhes importantes!
        Verifique a validade de seu passaporte com antecedência, pois se precisar renovar, dará tempo.
       Veja também se o país para onde está indo precisa de visto ou de alguma vacina específica e já corra atrás para resolver essa pendência.

        Esteja atento ao câmbio e pesquise sempre o valor da moeda local.

       Definindo isso e já com as passagens compradas, é hora de escolher as cidades por onde quer passar. Pense em um fluxo e escolha a ordem que mais vai economizar tempo e também dinheiro. Eu escolhi começar por Roma, e ir para o norte. Não vai adiantar nada se você escolher uma cidade no sul, depois ir para o norte e depois para o centro. Faça escolhas inteligentes. 


     O próximo passo, é definir a quantidade de dias em cada cidade. Você pode também nem determinar isso antes da viagem e decidir onde ficar e onde ir tudo de última hora, mas na minha opinião, isso é muito instável e pode causar alguns problemas na sua viagem e ainda dar dor de cabeça. Pesquise muito sobre a cidade e as atrações que ela oferece, e também as que vão oferecer nos dias escolhidos, assim você aproveitará muito mais. Essa é a parte crucial do planejamento, pois tem cidades que não precisam de muito tempo para conhecer, e já outras precisam de mais tempo. É preciso escolher bem para não faltar e nem sobrar dias.

      Agora o seu roteiro vai ficando com uma "carinha" mais sua. Tenha em mente sempre aquela quantidade que você tem para gastar, e é hora de escolher e reservar os hotéis ou hostels. Estipule mais ou menos a quantidade que você quer e pode gastar em hospedagem por dia. Para a Itália, eu estipulei uns 30 euros por dia e multipliquei pelos dias da viagem, e dentro desse valor fui escolhendo os hotéis. Esse valor é mediano, então vai depender  do que está disposto a pagar. Em hostels, por exemplo, dá para conseguir diárias mais baratas entre 15 e 20 euros, se você for ficar em quartos coletivos e dependendo da temporada. Estipule sempre para mais, pois é melhor sobrar do que faltar. No meu caso, eu fazia sempre as contas dos gastos, pra saber se eu estava no caminho certo e para ter certeza que não ia faltar. 
      Eu fico imaginando como as reservas eram feitas antigamente sem internet. Deviam ser no mínimo angustiantes e problemáticas. Ainda bem que hoje temos os e-mails e os sites que fazem tudo pra gente. É o caso do Booking.com, que eu utilizei para reservar toda a hospedagem da minha viagem. Nele é fácil de visualizar o quarto em que vai ficar, e todas as informações do hotel. Tem mapa, preço, fotos, avaliações de clientes, e ainda existem alguns hotéis que te dão a opção de pagar somente na hora do check-in, e cancelamento grátis em determinado período antes da sua chegada. Depois que faz todas as reservas, elas ficam disponíveis na sua conta do site para informações e possíveis cancelamentos. Assim, é mais fácil de calcular quanto irá gastar em hospedagem.
        Tendo um lugar definido, a quantidade de dias e as reservas de onde dormir, é hora de pesquisar os transportes entre as cidades. Leve em consideração a distância entre elas. Se for cidades muito distantes, e você tiver dinheiro disponível, prefira o avião. Se não, tem os trens de alta velocidade. Se for cidades mais próximas, existem os trens regionais. Mas se for cidades pequenas e bem próximas, tem também os ônibus. Nesse assunto, envolve tempo disponível para a viagem e também dinheiro. O avião costuma ser mais caro, depois vem os trens e por último os ônibus. Mas em compensação, nesta mesma ordem, eles vão de mais rápidos a mais lentos. Pesquise muito e tenha sempre anotado o nome das empresas que fazem esse tipo de serviço. Essa parte do planejamento serve para ver os preços das passagens e prever um valor total de quanto irá gastar. 
      Se as cidades são próximas, os ônibus e trens regionais, estarão disponíveis para compra de passagens somente perto da data da viagem. Mas se as cidades forem distantes e você quiser ir de trem de alta velocidade (Freccia), já dá para comprar pela internet. Isso, é no caso da Itália. No meu caso, a passagem de Firenze (Florença) para Veneza fui de Frecciargento, e por isso, e também para não perder a hora do meu passeio em Veneza, decidi comprar antecipadamente pela internet. Na hora do embarque é só apresentar o voucher, pois comprando pela internet não precisa de convalidar o bilhete na maquininha.
Frecciargento na Stazione Santa Maria Novella em Firenze.
        Um detalhe que muitos viajantes tomam conhecimento de última hora, ou esquecem, é o seguro viagem. Pesquise bem o país em que estiver indo, e não deixe de fazer o seu na véspera da viagem em uma agência. Além de ajudar no caso de bagagem extraviada e vôos cancelados, ele vai te dar um suporte em caso de doenças. Vai por mim, eu precisei de médico em Roma e foi uma maravilha eu ter feito esse seguro. Nós nunca pensamos que vamos precisar, mas vai que precisa, né?. Não esqueça de calcular o valor junto com o total de despesas. No meu caso, gastei em torno de 300 e poucos reais no plano "Europe slim" para ficar 1 mês.
        Para ficar mais fácil esse planejamento, faça em check-list para melhor visualização e tenha sempre guardado com você essas anotações.(#FicaADica).
       Além de todas essas dicas, calcule também os valores dos passeios e eventuais imprevistos. Mas isso vai ficar para um próximo post.

      Passo a passo para programar uma viagem (Resumo):
  1. Definir o destino, o tempo total e a época do ano.
  2. Pesquisar e comprar as passagens aéreas.
  3. Verificar passaporte, visto e vacinas.
  4. Escolher as cidades por onde quer passar.
  5. Definir a quantidade de dias.
  6. Reservar os Hotéis.
  7. Pesquisar transporte entre as cidades.
  8. Fazer um seguro viagem.
  9. Planejar os passeios.  (Em breve - Próximo post)
  10. Colocar nos gastos os possíveis imprevistos e os extras. (Em breve - Próximo post)
      Esse é o primeiro passo para o planejamento da viagem. Me desculpe o tamanho do texto, mas espero que eu tenha ajudado de alguma forma a clarear a cabeça de quem está indo pela primeira vez à Itália ou algum outro país, e sozinho. 

                   Chegando em Roma (Parte 1)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário! ;)